25 de janeiro de 2013

Claude Monet, Impressão, Nascer do Sol


Claude Monet, Impressão: Nascer do Sol
Óleo sobre tela, 48 cm x 63 cm, 1872

Claude Monet é o autor de Impressão, Nascer do Sol (1872). Deve-se a esta pintura o nome “Impressionismo”, quando foi vista pelo crítico de arte Louis Leroy. Posteriormente, Monet disse acerca do título: “Uma paisagem não é nada mais do que uma impressão, um instante único (...)”.
 
A Impressão, Nascer do Sol mostra a captação de um instante de uma manhã no porto de Le Havre, em França. Monet pintou-a através do uso de pinceladas soltas e o aspecto que a peça nos mostra não é tanto o de uma paisagem representada, mas sim aquilo que percebemos e experienciamos num determinado momento do dia (neste caso, uma manhã no porto de Le Havre). Não está em causa uma definição da figura dos barcos ou dos homens a bordo, mas sim o que experienciou Monet nessa manhã. Essa impressão, esse instante único, conforme disse Monet, leva-nos ao encontro do trabalho fotográfico. Apesar de ter havido experiências em século anteriores, o advento da fotografia deu-se no século XIX, datando de 1826, a primeira fotografia, da autoria de Nicéphore Niépce. A fotografia, na sua essência, mostra um determinado instante a um determinado momento do dia. É como uma impressão de um momento e é aquilo que vemos nesta pintura.
 
Para o surgimento de Impressão, Nascer do Sol foi também importante a Escola de Barbizon, que não era uma escola, no sentido de edifício, mas sim um agrupamento de artistas que se estabeleceu em Barbizon, perto de Paris, durante a primeira metade do século XIX. Estes artistas (Millet, Rousseau, Daubigny e outros) levavam os seus cavaletes para o campo para captarem as paisagens que se abriam diante de si. Aí, capturavam a luz e a cor do cenário que lhes servia de objecto, pintando aquilo que os seus olhos viam. Foi esta imersão na natureza que os levou a dar atenção aos detalhes da vida campestre, às estações do ano e, acima de tudo, às alterações que a luz e a cor vão sofrendo não só durante um único dia, como também no decorrer do ano. A captação de um lugar a uma determinada hora do dia ou numa determinada época do ano foi um dos aspectos que preocupou os impressionistas e encontramos este assunto tratado na série de pinturas que Monet executou da Catedral de Rouen, nas quais tematizou a luz e outros valores atmosféricos.


Origem da imagem: Musée Marmottan